17.11.09

Metades a fora

Eu sou metade filha da mãe e metadade da puta. Isso é a metade da disputa que eu sofro. Eu tenho metade de mim aqui e sinto a outra bem longe daqui.
Minha má reputação, metade é acidental e a outra me causa dor prestativa.
Eu não tenho um incompleto, só tenho uma vida em metades. Isso nunca foi um problema para mim, sem levar em cosideração quando desabo por não saber viver a metade importante, mas qual metade é?
Já fiz lavagem cerebral e estomacal, de que me adiantou se ainda sinto enjoos e não tenho coerência?
Eu sou a cruz no meio de dois demônios, um destino pouco admirável, uma vida pelas metades a fora.

6 comentários:

30 e poucos anos. disse...

Saiba que carater é..é unico e absoluto e não tem meio termo ... é igual mulher grávida, não existe meia mulher grávida.
Principios e ética ou tem ou não tem !!!

Carlos disse...

Concordo com o rapaz acima... Legal seu blog... Tô passando pra divulgar o meu, mas como não posso virar seu seguidor, vou pôr nos meus favoritos...

http://visaopoetica84.blogspot.com/
Meu blog, dá uma passada lá...

Bjux

Tânia Mara disse...

A minha e a sua interpretação.

Não é viver em termos, é se ter extremos em conflito em uma única vida, talvez em um único momento... não excluo nada e vivo tudo... princípios e ética não fazem parte do que eu disse!

Cássia disse...

Acho que todos somos assim: confusos!

T.M. disse...

Somos formados por metades, mas nem todos tem consciencia disso. A admiro por conseguir encarar o que tem em seu mundo interno. Por não ficar apenas se forçando a encarar o lado "doce" da vida ou pior, seguindo intruções dos outros sobre o que é e o que há e negando o que há de sombrio e doloroso e qualquer outra coisa que seja intransferivel e sua.
No mais, belo blog.

T.M.

Manoel Leonam disse...

já experimentou encher a cara?