9.5.11

(In)distinto.

Nem todo alvo é atingido com mérito. Nem toda boa intenção causa um bom efeito. Muita coisa do que eu faço me ferra. Muita coisa do que eu não faço me ferra também.
Até onde a minha mente consegue raciocinar somente pelo fato em sí? Quais foram minhas escolhas particulares? Escolher a força da mente, do espírito ou dos punhos? O que vale a pena e até onde vale?
Eu não sou o que faço, não sou meus problemas e nem as minhas escolhas. Posso morrer que nada do que eu fiz vai morrer comigo. Já são escolhas feitas, atitudes tomadas e as consequencias acontecem independente de mim.

Eu causo estrago. Você causa estrago. Sem querer ou não.
Você não cai na depressão, você cai em sí.
Destruir a própria vida é consequência dos que perderam o tato. Você é a depressão, é o fim, é a morte e a ressurreição.
Não há liberdade sem destruição. Mas quem sabe se destruir sem se acabar?


8 comentários:

• Ӗwerton Ľenildo.' disse...

Que profundo o texto. *-*

Adorei o Blog, seguindo.. segue ? (:

- http://ewertonlenildo.blogspot.com/ -

Tiago Morini disse...

Digno de reflexão.

Parabéns.

http://homoforensis.blogspot.com/

Thesi disse...

Bastante profundo!!
Parabéns!

Heidi Hass disse...

lindo texto, e profundo tb!
Obrigado pela visita!!! bjos
estarei sempre por ak...

bjo

Helena Pavan Guimarães disse...

Muito bom o texto...
Beijo e boa semana
Helena

KINHA disse...

Olá Tania

Obrigada por sua visita.

Uma ótima noite
Bjoooooooooooooo..................

http://amigadamoda.blogspot.com

Patrícia Fagundes disse...

Olha Tania, eu ouvi muito sobre isso nas minhas aulas de psicologia, na faculdade. É quase o mesmo que, se a gente não passar pela coisa, a coisa não passa, entende?
Obrigada pelo post. Beijos

Fabbyo Persa disse...

De defeitos adoráveis, virtudes abomináveis... Sim, és a Tânia, outrora a Mara, que aprende na marra o que para poucos seria inútil. Sim ela é a donzela, a bela... a malcriada de doçura incomparável... é o meu outro ser, minha amiga de orgasmos cerebrais... muitas vezes, chego a pensar que ela é meu ego, minha vontade de ser. Meu porto quase seguro, a mais linda rosa cercada com os mais belos espinhos... dotada de uma beleza rara. Sim meus caros, ela é simplesmente... Tânia Mara!