17.12.10

Insônia

Há quantos dias não durmo?
Não sei mais, a terça-feira se misturou com o sábado.
Uma vez você abre a sua geladeira, as laranjas acabaram, você sai para trabalhar e vê as pessoas se arrastando e resmungando porque mais uma semana começou, logo, você imagina ser segunda-feira, então você toma uma, duas xícaras de café... você precisa se manter acordada, mas os ponteiros do relógio insistem em continuar misturados.
Quando você tem insônia você não dorme e nem acorda direito. Você faz coisas que não sabe como começou e, provavelmente, não saberá terminar. Você não escolhe mais a roupa para trabalhar, não arruma mais os cabelos, toma cinco, seis xícaras de café, mas seu corpo continua pesado e sua mente quase não funciona.
Mais um dia, então você não abre as janelas, toma um copo de café e abre a geladeira, tem laranjas e Nutella. Nutella? O que a Nutella está fazendo aí?
Ouve a vizinha fazendo faixina enquanto canta uma música que você não faz mais nem questão de identificar qual é. Definitivamente hoje é sábado. Ainda bem que você não tirou o pijama. Toma outro copo de café e acende um cigarro. Domingo.
O calendário está no mês de Novembro ainda, você está desnorteada, olha o relógio e não sabe mais se é meio dia ou meia noite. Abre a janela, o silêncio predomina e a escuridão é plena. Meia- noite.
Toma um banho para trocar de pijama, logo, Segunda - feira.

Você toma cinco, dez xícaras de café... você precisa se manter acordada.

Um comentário:

Evandro disse...

Bom, me senti desnorteado, mergulhei no texto... como se eu fosse o personagem... Gostei da narrativa. Mas você repetiu muito "você". Isso é repudiado nas redações e afins. É um erro, mas talvez tenha contribuido para o clima da insônia.. vocÊ, você, as repetições inconcientemente atingem o leitor. Se foi proposital, parabéns! Se não, mais cuidado, porém já sabe desse truque.